quarta-feira, 15 de dezembro de 2010


"Você tem medo de se apaixonar e não prever o que poderá sumir, o que poderá desaparecer. Medo de se roubar para dar a ele, de ser roubada e pedir de volta. Medo de que ele seja um canalha, medo de que seja um poeta, medo de que seja amoroso, medo de que seja pilantra, incerta do que realmente quer - talvez todos em um único homem, todos um pouco por dia. Medo do imprevisível que foi planejado. Medo de que ele morda os lábios e prove o seu sangue".


Fabrício Carpinejar

http://www.carpinejar.com.br/

4 comentários:

Sotnas disse...

Olá Ni, desejo que tudo esteja bem contigo!

Todos estes medos se juntam e formam um só, sofrer mais tarde por esse amor!
E isso é normal no ser humano, gostamos de experimentar, mas não suportamos as conseqüências deste experimento! É como aquele ditado popular, todo mundo quer ir pro céu, mas ninguém quer deixar este mundo!
Este seus outros rastros está deveras belíssimo, sempre com textos muito bem escritos, com sentimentos expressos em cada palavra, de maneira agradável do ponto de vista do leitor. Parabéns pelo espaço! Desejo pra você e todos ao redor iluminada existência sempre! Grande abraço e até mais!

BM' disse...

Sofrer de amor é ruim, mas axo pior o sentimento de não ter tentado.

amei o post.
abç

Sotnas disse...

Olá Ni, passo por aqui pra te desejar muitas felicidades neste ano que chega de mansinho, entretanto repleto de vontade de ser e fazer feliz, sendo assim seja feliz em 2011, você e todos ao redor, sempre, e agradeço pela amizade ao longo deste ano que termina e espero continuar a fazer parte de seu círculo de amizades no próximo, me aceitas? Grande abraço e até mais! Sempre esperando e desejando que tudo esteja muito bem contigo!

Juliano disse...

Triste medo, que rouba felicidades!

Beijooos Ni!