sábado, 11 de dezembro de 2010


"To com saudade do teu cheiro na minha pele. Saudade de arder na tua febre quando tua boca me põe louca, teu suor invade meus poros, tua língua explora meu corpo e teus lábios me fazem amor... Saudade da tua voz sussurrando no meu ouvido, me pedindo pra dizer que eu sou tua, arrancando minha roupa, me arrepiando inteira quando me puxa para a tua fome, me deixando nua no momento em que queimo no teu beijo, me afogo no teu fogo, mergulho no teu gosto, arranho tuas costas, e sussurro que sou tua... (completa e irremediavelmente tua...!) Saudade de dormirmos agarradinhos, acordar no teu toque, na música que nos desperta, no instante em que me vejo nos teus olhos e o desejo arde de novo em nós... Saudade até, de quando você me deixa de lado por causa do violão (um dia ainda sumo com ele... eu juro! rs). Saudade da canção que brota gostosa da tua boca, do tom dos teus olhos que muda conforme você sorri (cor de mel quando você está sério, mais verdes quando está feliz), do timbre da tua voz me arrepiando, do teu coração no ritmo do meu corpo quando te enxergo por dentro e você me olha tão fundo e me canta o amor. Saudade de tudo que me faz lembrar você, até do blues que nem curto muito, mas que agora escuto só porque de um certo modo te traz pra mais perto de mim. Saudade do mundo inteiro cabendo aqui no meu quarto quando você na minha cama está, me amansa na tua loucura, me enlouquece no teu cheiro, na hora exata em que te caço entre lençóis e me derramo nua em teu suor. Saudade do teu sorriso, aquele que torna tudo mais fácil, num instante de ternura única, que não sei bem o porquê você parece querer esconder (teu sorriso revela o teu lado mais bonito). Saudade até do teu mau-humor quando quero conversar e não deixo você dormir. Saudade até mesmo de você me dizendo que faço tudo errado, e eu retrucar, só para não ficar por baixo, que você não acerta uma. Saudade do vinho, do cheiro, do beijo, do fondue e da pizza. Saudade de ouvir você corrigindo a pronúncia do meu francês que eu nem sabia ser francês (RS), saudade de corrigir os pequenos deslizes do teu português. Saudade de cada detalhe da nossa história, do que fomos e de tudo que ainda podemos ser. Memória do que está por vir. Saudade do que não aconteceu (ainda!). De pegar a estrada pra praia ouvindo Laura Pauzini ( e nem adianta fazer cara feia, você deu idéia, agora agüenta RS ). De pão de queijo no Hotel Fazenda. De fazer amor, na serra, em frente à lareira. Da casinha na montanha, no mato, na cidade ou no campo (com você em qualquer lugar). Do fogão à lenha, do melhor feijão que você já comeu na tua vida (aquele que vou aprender a fazer só pra você). Da nossa cozinha e da varanda. Do jardim, cheiro de mato e lavanda, e o melhor cheiro: o teu!. Do periquito Ludovico e do papagaio Gervásio (RS). Do beija-flor todas as manhãs na nossa janela. De ouvir Beatles com teu filho. De ter você e ele comigo, contar histórias pra ele dormir, brincar de bicho-papão, fazer caretas no espelho, chorar de tanto rir. Deitar na grama e contar estrelas, pular amarelinha, soltar pipa, jogar bola, ralar o joelho, rolar no chão. De ser cúmplice dos teus atos, descobrir o mundo na ternura do teu abraço. Ser o motivo do teu riso, a rotina da tua pele, a promessa dos teus olhos, a proposta da tua boca, a resposta do beijo. Pulsar no teu íntimo... Fazer do teu lugar o meu... Por tudo isso, pelo que eu sinto e que sei você sente também. Por você, por mim, é que te ensaio um poema, arrisco na rima, me perco no verso. Só para te dizer dessa saudade. Pra te falar o quanto você me faz falta, do quanto te quero, pra te mostrar que não é a ausência de afeto o que há, talvez o que sobra dentro de nós morra um pouco no gesto falho, na entrega pela metade, nas palavras repetidas, no silêncio egoísta, do medo de ser nós mesmos, de expor nossos defeitos, e de repente descobrir que em meio a tantas diferenças somos tão iguais...Sinceramente não sei. Só sei que não quero desistir, quero continuar tentando, descobrir o jeito certo do teu jeito se encaixar no meu. Porque estamos apenas começando. Porque não quero deixar que se perca em mim o desejo de permanecer em nós dois."


(Cris...)



http://precisotantoaproveitarvoce.zip.net/

4 comentários:

Sotnas disse...

Olá Ni, tudo bem contigo, assim espero!
Sortudo, é como deve se chamar o ser que inspirou texto tão apaixonado, com palavras tão carregadas de sensualidade, e escritas com tanto sentimento! Gosto demais de visitar seus outros rastros, sempre com belíssimos textos! Desejo pra você e todos ao redor tudo de bom sempre, grande abraço e até mais!

mô. disse...

meu Deus, nunca li algo tão sublime como esse texto. Tão apaixado, tão intenso, tão tudo!
Que dê tudo certo, que esse amor viva e sobreviva a todos os espinhos.

Andréia Cordeiro Levy disse...

Noossaaa, tocou fundo no coração!!
Quando expomos os sentimentos, as palavras fluem, vai saindo do fundo coração, e quando estamos apaixonados, criamos poesias...
Já amei muito, e continuo amando =)
Acredito que a mensagem que vc passou nesse texto, tocou o coração de muita gente, parabéns!!
Tudo de bom para vc e muito sucesso em tudo de bom que vc fizer =**

Ligia L. disse...

Adorei seu novo post *-*
gostei da frase:

"Ser o motivo do teu riso, a rotina da tua pele, a promessa dos teus olhos, a proposta da tua boca, a resposta do beijo."

Obrigada pelo carinho deixado lá no blog (:

Beeijos