quinta-feira, 15 de outubro de 2009



"Conjugando os teus infinitos verbos encontrei a minha mais doce palavra.
E num dia em que a brisa batia leve e tranqüila, minhas urgências gritavam cada vez mais nítidas o teu nome, incessantemente, como se cada parte do que tenho de mais intenso pudesse me fazer inteira apenas ao reconhecer essa metáfora suave e leve, em meio às tantas tempestades desse imenso vazio lotado de palavras que eu não precisei dizer para que você entendesse.

(...)


Só você decifra e preenche os vazios que há em mim"


9 comentários:

Marcelo Mayer disse...

bela iniciativa!

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Só o amor tem a capacidade de nos devolver a nós.
Lindo texto.
Simples. Leve. Profundo.
Uma linda semana para ti.

ParadoXos disse...

e esse amor é o que nos leva!

abraço fraterno!

paulo disse...

tuas casas são lindas!

beijo meu

Beki disse...

Nossa que lindo ... =D
Gostei demais...

beijos

a n d r é a disse...

oiiie, sabe aquele texto q vc ler, e parece não ter pontuação, foi assim que li esse texto, impressionante. Mas então obrigado pela visita lá no Canto, eu adoro os textos da Yasha, ela tem um talento escrevendo. Beijoos, vou aparecer sempre ta?! beijoooos

Hosana Lemos disse...

que perfeito
*-*

vou visitar esse blog...
bela escolha, boa indicação.

=*

Everson Russo disse...

Obrigado pelo carinho de sua visita ao Ultimo Barco, te convido a visitar meu blog principal, atualizado diariamente, O Livro dos Dias, www.olivrodosdiasdois.blogspot.com -----beijos querida.

D i c a disse...

Tem coisa demais na mão de uma única pessoa.

Beijo.. Foi lindo!